quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Novidade da Bertrand Editora para Outubro

Doutor Sono, de Stephen King
Sinopse: Uma tribo de gente chamada o Nó Verdadeiro viaja à procura de sustento pelas autoestradas da América. Parecem inofensivos e são, sobretudo, velhos. Mas, tal como Dan Torrance bem sabe, e Abra Stone não tarda a descobrir, os membros do Nó Verdadeiro são quase imortais e vivem do «vapor» produzido pelas crianças com o «brilho» quando são lentamente torturadas até à morte. Assombrado pelos residentes do Hotel Overlook, onde passou um ano horrível da sua infância, Dan anda há décadas à deriva, tentando libertar-se do legado de desespero, alcoolismo e violência deixado pelo seu pai. Por fim, instala-se numa cidade de New Hampshire, numa comunidade de Alcoólicos Anónimos que o apoia e num trabalho num lar, onde o «brilho» que lhe resta oferece um derradeiro conforto aos moribundos. Com o auxílio de um gato presciente, torna-se o «Doutor Sono». E depois Dan conhece a evanescente Abra Stone, e é o espetacular dom dela, o brilho mais vivo que ele já viu, que dá novo alento aos fantasmas de Dan e o impulsiona para uma guerra épica entre o bem e o mal para salvar Abra e a sua alma.

Disponível a partir de 14 de outubro.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Opinião: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - Partes Um e Dois (#8)

Título Original: Harry Potter and the Cursed Child - Parts One and Two (Special Rehearsal Edition Scrip) (2016)
Autor: J. K. Rowling, Jack Thorne e John Tiffany
Tradução: Marta Fernandes e Helena Sobral
ISBN: 9789722359054
Editora: Editorial Presença (2016)

Sinopse: 

A oitava história. Dezanove anos depois. Baseada numa história original de J.K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne, "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada" - a nova peça de teatro de Jack Torne -, cuja estreia mundial decorreu no West End em Londres no passado dia 30 de Julho, é a primeira história oficial de Harry Potter a ser apresentada em versão teatral. Foi sempre difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele se tornou num muito atarefado funcionário do Ministério da Magia, casado e pai de três crianças em idade escolar.Enquanto Harry luta com um passado que se recusa a ficar para trás, o seu filho mais novo, Albus, tem de se debater com o peso de um legado familiar que nunca desejou. Quando o passado e o presente se cruzam, pai e filho confrontam-se com uma desconfortável verdade: por vezes as trevas vêm de lugares inesperados.

Opinião:

Não é segredo para quem segue o meu blogue: sou fã da série "Harry Potter". Grande fã! Como tal, fiquei muito feliz quando soube que a autora tinha decidido voltar a pegar nas personagens que tanto me conquistaram para fazer uma peça de teatro que conta o que aconteceu anos depois. Fiquei ainda mais feliz quando foi confirmado que o guião da peça ia ser publicado. E muito mais quando a Editorial Presença confirmou ter adquirido os direitos da obra. Claro que, assim que o livro chegou, tive de o ter nas minhas mãos e devorá-lo (não ler, mas devorar).

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada voltou a deixar-me de coração cheio. É verdade que o tipo de escrita se afasta em muito dos livros da série principal, afinal, trata-se de um guião e não de um romance. Porém, os elementos que tanto me agarraram nos outros livros estão todos lá. A mensagem é forte e volta a apelar ao poder da amizade, união, amor e compreensão. A magia continua a maravilhar e a fazer-nos desejar saltar para aquele mundo. As personagens antigas são como velhos amigos que voltamos a encontrar, enquanto as novas são figuras com quem é fácil criar laços. O lado negro está sempre presente e recorda-nos que a vida tem várias facetas e muitos obstáculos a serem ultrapassados. E existem tantos, mas tantos momentos que me deixaram com um sorriso nostálgico....

É tão divertido ver Harry, Hermione, Ron e Draco como adultos. A essência de cada um está presente, mas nota-se uma evolução. De todos, acabei por ficar mais impressionada com Draco, uma personagem que já me fez nutrir sentimentos tão diferentes. Gostei que Harry mostrasse que há traumas que não são ultrapassados facilmente e que o medo nos pode levar a cometer erros que poderiam facilmente ser evitados. Em Hermione ficou evidente a sua capacidade de liderança que era latente na infância e juventude e foi muito divertido perceber que ela não perde alguns dos seus traços.  Fiquei com pena que Ron se limitasse tanto a uma função cómica, mas, apesar disso, as suas intervenções faziam sempre rir.

Entre as novas figuras, destaca-se Albus e Scorpius. É engraçado que o primeiro faça lembrar tanto Harry na sua fase de rebeldia. Só que, enquanto com Harry eu sabia o que se estava a passar e partilhava com ele a sua dor, com Albus é mais complicado de aceitar pois a sua evolução é apresentada de forma rápida e superficial. Nem sempre o compreendi, mas sempre desejei que encontrasse o seu caminho. Já Scorpius conseguiu conquistar-me facilmente. Adorei-o! A sua realidade comove, e o facto de encarar tudo com tanta bravura fez-me ficar sempre a torcer por ele.

A história é apelativa e tem um encadeamento ritmado. Tornava-se tão difícil para de ler! Por se tratar de uma peça, a ação é constante. Além disso, os autores fizeram a opção deliciosa de apresentar uma história nova que está intimamente entrelaçada por aquela que já é nossa conhecida. As viagens no tempo e as visitas a momentos tão marcantes dos livros anteriores fizeram-me sentir em casa. Além disso, tal permitiu que voltasse a encontrar personagens já perdidas mas que, mesmo assim, têm algo para ensinar. Maravilhoso!

Não posso negar que preferia que a autora tivesse tido a possibilidade de adaptar a peça a um romance, afinal, acredito que isso iria dar ainda mais força à trama. Mas fico feliz por a história estar, assim, disponível para todos nós. Além disso, o essencial está lá. Enquanto lia, não conseguia parar de imaginar como aqueles momentos seriam apresentados em palco. A trama está pensada para esse tipo de apresentação, daí conseguir entender o motivo pelo qual se optou por não se fazer a adaptação do guião.

"Harry Potter e a Criança Amaldiçoada" apresenta uma bela história. É fantástico ver aquelas personagens jovens com as quais cresci a enfrentarem o mundo dos adultos, nomeadamente no que toca à paternidade. Além disso, esta trama justifica certas decisões de J. K. Rowling, pois uma pequena alteração poderia transformar por completo o destino deste mundo. Terminada a leitura, fica a vontade de ir a Londres assistir às duas partes desta peça. Fãs de "Harry Potter", se ainda não pegaram neste livro, façam-no o mais rápido possível.

Outras opiniões a livros de J. K. Rowling:
Harry Potter e a Pedra Filosofal (#1)
Harry Potter e a Câmara dos Segredos (#2)
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (#3)
Harry Potter e o Cálice de Fogo (#4)
Harry Potter e a Ordem da Fénix (#5)
Harry Potter e o Príncipe Misterioso (#6)
(pseudónimo Robert Galbraith)
Quando Cuco Chama (Cormoram Strike #1)

Novidade da Planeta para Outubro

O Trono de Fogo, de Rick Riodan
Sinopse: FALTAM APENAS CINCO DIAS PARA QUE UMA ENORME SERPENTE ENGULA O SOL E DESTRUA O MUNDO. DEPOIS TUDO SERÁ ESCURIDÃO...
Carter Kane e Sadie, a irmã, estão metidos em sarilhos desde que os deuses do antigo Egipto foram largados no mundo moderno. Como descendentes da Casa de Vida, os Kane têm alguns poderes, mas os deuses, tortuosos, não lhes deram tempo para aperfeiçoar as capacidades na Casa de Brooklyn, campo de treino de jovens mágicos. Novidade Outubro 2016 Grupo Planeta Rua do Loreto, n.o 16 – 1.o D 1200 - 242 Lisboa www.planeta.pt E agora o inimigo mais ameaçador, Apopis, a serpente do Caos, está de regresso. Se os dois irmãos não o impedem de se libertar dentro de alguns dias, o mundo termina. Por outras palavras, é uma semana típica para a família Kane. Para terem hipótese de vencer as forças do Caos, os Kane precisam de ressuscitar Ré, o deus-sol, mas nunca nenhum mágico levou a cabo tal feito. Primeiro os dois irmãos têm de procurar as três secções do Livro de Ré e depois aprender a proferir os seus feitiços. Ah... e já dissemos que ninguém sabe exactamente onde está Ré?

Disponível a partir de dia 4.



Novidade da Marcador para Outubro

Uma Mulher Respeitável, de Célia Correia Loureiro
Sinopse: Pouco depois de se casar, a sorte do conde de Cerveira sofre umrevés. Uma série de infortúnios deixam-no à beira da ruína financeira,e não demora muito para que comece a desconfiar dosintentos da estranha de beleza intrigante que desposou. Perantea dúvida, decide enviar Leonor Sanches para um exílio temporáriojunto do tio, que ensina na prestigiada Trinity College, emDublim. Conforme a epidemia de cólera vai ceifando as vidas decristãos e anglicanos na Irlanda, também o coração de LeonorSanches se oferece à tragédia. Cinquenta anos depois de perder o seu bem mais precioso paraas tropas de Napoleão, Mariana Turner sente que está a umpasso de descobrir toda a verdade sobre os acontecimentos deMarço de 1809. Novas revelações apontam para que a condessade Cerveira, encarcerada no Porto, seja a chave para resolver omistério. Munida de uma determinação inabalável, tudo farápara conseguir deslindar o passado de Leonor Sanches -fidalgae anjo caído.

Disponível a partir de dia 6.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Novidades da Editorial Presença para Outubro

Harry Potter e a Câmara dos Segredos, de J. K. Rowling com ilustrações de Jim Kay
Sinopse: Quando Dobby, o elfo doméstico, aparece em Private Drive insistindo que Harry Potter não deve voltar a Hogwarts, Harry suspeita que o seu arquirrival, Draco Malfoy, estará por detrás deste aviso. Depois de ser salvo dos terríveis Dursleys por Ron Weasley - num carro voador - Harry passa o resto do verão na «Toca». A vida com os Weasleys é tão rica em distrações mágicas que Harry logo esquece os avisos ansiosos de Dobby. Mas entretanto, num corredor escuro da escola, é encontrada uma sinistra mensagem escrita que parece confirmar as previsões de Dobby, de que coisas terríveis estão para acontecer… Jim Kay, vencedor do Kate Greenaway Award, evoca de forma extraordinária o mundo da feitiçaria, nesta edição profusamente ilustrada do segundo livro da série clássica escrita por J.K. Rowling - perfeito para os inúmeros fãs da série e para os novos leitores de Harry Potter.

Disponível a partir de dia 19.



A Carreira do Mal, de Robert Galbrath
Sinopse: Quando recebe um misterioso embrulho, Robin Ellacott fica horrorizada ao descobrir que lá dentro se encontra a perna de uma mulher. O seu chefe, o detetive privado Cormoran Strike, mostra-se menos surpreendido mas está igualmente alarmado. Strike calcula que quatro pessoas do seu passado possam ser os responsáveis ? e sabe que qualquer uma delas é capaz de semelhante brutalidade. Com a polícia concentrada num suspeito que Strike considera não ser o culpado, este e Robin decidem investigar os mundos sombrios e retorcidos dos restantes três suspeitos. No entanto, à medida que se desenrolam mais acontecimentos macabros, o tempo esgota-se…

Disponível a partir de dia 7.


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Novidade de Gradiva para Outubro

Vaticanum, de José Rodrigues dos Santos
Sinopse: Um comando do Estado Islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o papa desaparece. Horas depois surge na Internet um vídeo em que os terroristas mostram o sumo pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante. O papa será decapitado em direto à meia-noite.O relógio começa a contar.O rapto do papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem às ruas, os atentados sucedem-se, multiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra. Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do papa e cruza-se com um nome enigmático. OMISSIS A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Sé. Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor favorito dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com "Vaticanum", José Rodrigues dos Santos mostra uma vez mais por que razão é considerado o mestre do mistério real.

Disponível a partir de dia 6.
 

Opinião: Viver Sem Ti (#2)

Título Original: After You (2015)
Autor: Jojo Moyes
Tradução: Ana Maria Chaves e Márcia Montenegro
ISBN: 9789720048851
Editora: Porto Editora (2016)

Sinopse: 

Como seguir em frente depois de se perder a pessoa amada?Como construir uma vida que valha a pena ser vivida? Louisa Clark já não é uma jovem banal a viver uma vida banal. O tempo que passou com Will Traynor transformou-a, sendo agora uma pessoa diferente que tem de enfrentar a vida sem ele. Quando um insólito acidente obriga Lou a regressar a casa dos pais, é impossível não sentir que está de volta ao ponto de partida. Lou sabe que precisa de um empurrão que a traga de novo à vida. E é assim que acaba por ir parar ao grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros partilham sentimentos, alegrias, frustrações e bolos intragáveis. Serão também eles que a levarão até Sam Fielding – um paramédico que trabalha entre a vida e a morte, e o único homem que talvez seja capaz de a compreender. Mas eis que uma personagem do passado de Will surge de repente e lhe altera todos os planos, lançando-a num futuro muito diferente…. Para Lou Clark, a vida depois de Will Traynor significa reaprender a apaixonar-se, com todos os riscos que isso implica. Em "Viver Sem Ti", Jojo Moyes traz-nos duas famílias, tão reais como a nossa, cujas alegrias e tristezas nos tocarão profundamente ao longo de uma história feita de surpresas.

Opinião:

Sabem quando lêem um livro que adoraram e depois descobrem que, afinal, há uma continuação? Conhecem aquele sentimento de, por um lado, existir um grande entusiasmo e, por outro, também haver algum receio de que a história de que tanto gostaram poder perder muita da beleza que tinha devido aos novos desenvolvimentos? Pois foi com este misto de emoções que iniciei a leitura de Viver Sem Ti. Assim que tive esta nova obra de Jojo Moyes nas mãos tive de a começara ler, mas não sem temer elo que iria acontecer. Mas deixem já que vos diga que, terminada a leitura, senti-me feliz e conquistada.

Tendo terminada a leitura de Viver Depois de Ti com um sorriso de uma sensação de esperança, apesar de toda a tristeza, foi com alguma desilusão que percebi o que tinha acontecido a Louisa imediatamente a seguir. Porém, não consegui deixar de pensar que tudo aquilo fazia sentido. A situação que ela atravessou não é fácil e coloca tudo em perspectiva. Felizmente, com o avançar da leitura, percebi que a autora estava a levar esta protagonista, que já conquistou um lugar de destaque, por um caminho de superação.

Não quero fazer grandes revelações sobre esta história, pois tem muitas surpresas que fazem ligação com o livro anterior. Posso, contudo, dizer-vos que a forma como a autora conseguiu recuperar uma trama que, à partida, já estava terminada, foi feita com grande mestria. Aquelas são as mesmas personagens de Viver Depois de Ti, os novos dramas que enfrentam fazem todo o sentido dentro desta sequência de eventos. Ao ler sobre estas figuras, senti que elas eram humanas, reais, tanto que facilmente as poderia encontrar na rua. Acredito que muitos dos leitores que viveram experiência idênticas conseguem, facilmente, encontrar semelhanças nestas personagens.

Louisa cativa imediatamente. É impossível não sentir a sua dor ou não compreender a sua dificuldade em quebrar barreiras e lutar por um futuro mais feliz. E apesar de ser ela a protagonista, é com agrado que constato que todas as outras personagens também têm bastante força. Afinal, todas enfrentam os seus próprios obstáculos. Todas estão à procura de um objectivo de vida ou, já o tendo definido, da forma como o podem alcançar. É tão fácil sentir empatia por isto. É tão simples observar para estas figuras e acreditar que elas estão lá fora, no mundo real, a lutar pela sua felicidade, tal como nós.

O desenrolar da trama está muito bem conseguido. Ao início, e tal como Louisa, senti o seu desânimo e vontade de perceber o que fazer a seguir. Senti saudades de Will, voltei a questionar as suas decisões e, com o decorrer da narrativa, comecei a ver a luz ao fundo do túnel. Algumas situações eram esperadas, é verdade, mas outras não o eram e ajudaram a tornar esta leitura viciante. Já mais perto do final, voltei a sentir alegria e a acreditar que o mundo tem beleza.

Viver Sem Ti é um livro que fala de luto e que, de uma forma surpreendente e inesperada, consegue estar ao mesmo nível que o anterior. Se ao início tinha receio de que a história de Louisa perdesse força, fiquei feliz por ver que a autora pensou muito bem no que iria acontecer a esta personagem e tivesse explorado isso de uma forma tão real e bela. Adorei este livro e acredito que as aventuras desta protagonista podem continuar. Afinal, ela já parece ser uma verdadeira amiga e, no mundo real, as histórias não terminam. Se gostaram do livro anterior, então não percam este.

Outras opiniões a livros de Jojo Moyes:
Viver Depois de Ti (#1)