sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Opinião: À Boleia Pela Galáxia


Autor: Douglas Adams
Título Original: The Hitchhiker's Guide to the Galaxy (1979)
Tradução: António Vilaça
ISBN: 9789728839130
Editora: Edições Saída de Emergência (2005)

Sinopse:

Segundos antes da Terra ser destruída para dar lugar a uma autoestrada intergaláctica, o jovem Arthur Dent é salvo pelo seu amigo Ford Prefect, um alienígena disfarçado de ator desempregado. Juntos, viajam pelo espaço na companhia do presidente da galáxia (ex-hippie, com 2 cabeças e 3 braços), Marvin (robot paranoico com depressão aguda), e Veet Voojagig (antigo estudante obcecado com todas as canetas que comprou ao longo dos anos). Onde estão essas canetas? Porque nascemos? Porque morremos? Porque passamos tanto tempo entre as duas coisas a usar relógios digitais? Qual é o sentido da vida? As respostas a estas questões podem ser obtidas, apenas é necessário esticar o polegar e apanhar uma boleia pela galáxia.

Opinião:

Nascido da mente de Douglas Adams, um escritor e comediante britânico que escreveu algumas das paródias dos Monty Phyton, “Á Boleia Pela Galáxia” é um livro de ficção científica muito divertido.

Arthur Dent, o protagonista, podia ser qualquer um de nós. É um homem com uma vida normal, pacata, na qual enfrenta os problemas normais do dia-a-dia, o que faz com que seja fácil ter empatia por ele. De um momento para o outro, Arthur depara-se com a destruição iminente do seu próprio planeta. Felizmente é salvo por Ford, que, por mero acaso, é um extraterrestre que tem viajado à boleia pela galáxia. Assim, os dois agarram nas suas toalhas (peça fundamental para quem anda nestas aventuras), fogem da Terra e iniciam uma aventura cheia de perigos, recheada de momentos hilariantes.

Nesta viagem, o leitor fica a conhecer alguns dos maiores mistérios do Universo. Afinal, existem povos com sistemas burocráticos muito piores do que o nosso, fica-se a conhecer uma espécie de peixe que quando colocado no ouvido traduz qualquer idioma, relflecte-se sobre o significa da vida (algo muito profundo, como seria de esperar), surgem até alguns problemas do foro sentimental (e porque não?), e muito mais.

Entretanto, as relações entre as personagens são intensificadas, apesar de todas elas possuírem caraterísticas tão díspares. O leitor não vai conseguir ficar indiferente ao intérprido Ford Prefect, ao depressivo Marvin, à corajosa Trillian ou ao excêntrico Zaphod.

O título do livro faz referência a um guia fictício que dá dicas essenciais sobre as viagens no espaço. Este é um elemento fundamental na obra, já que o leitor, por diversas vezes, se depara com conselhos hilariantes e com reflexões consideradas non sense, mas que brincam com as circunstâncias reais da vida.

Repleto de notas humorísticas, de devaneios curiosos, de ironias e de analogias ao quotidiano contemporâneo, este é um livro que cativa quem tem sentido de humor.

“À Boleia Pela Galáxia” é o primeiro livro de uma série que se tornou de culto. Os fãs de Douglas Adams conseguiram mesmo criar um dia dedicado ao autor, The Towel Day (Dia da Tolha, em tradução literal). Como tal, se no dia 25 de maio virem várias pessoas na rua com uma toalha na mão, não estranhem (eu não vos disse anteriormente que esta era fundamental para quem anda á boleia pela galáxia? Lá está!).

Um livro que combina o humor dos Monty Phyton com as possibilidades da ficção científica. Um dos enredos mais divertidos que já tive oportunidade de ler. Recomendo!

Nota: A editora Saída de Emergência publicou ainda o segundo livro desta série, “O Restaurante no Fim do Universo”. Contudo, os dois últimos volumes, “Life, the Universe and Everything” e “So Long, and Thanks For All the Fish”, não têm, ainda, uma publicação nacional.

2 comentários:

Paulo disse...

Ois,

Por acaso tive a sorte de comprar este e o volume seguinte a 5 € na feira do livro (na banca anti-crise da SDE) pois já tinha visto que muita gente tinha gostado dos livros.

Penso que a tua opinião vem ao encontro do que referi, o que me desperta ainda mais vontade de ler os livros.

Só espero que a SDE não esqueça de continuar a publicar este escritor, que pelo que percebo é uma lufada de ar fresco, esperança ;)

Estou a ver que tem muita situação cómica lol

BJS

Cláudia disse...

Vais ver que ficaste a ganhar ao teres comprado cada um a esse valor ;)