sábado, 18 de agosto de 2012

Opinião: Harry Potter e a Pedra Filosofal

Autor: J. K. Rowling
Título original: Harry Potter and the Philosopher's Stone (1997)
Tradução: Isabel Fraga
ISBN: 9722325337
Editora: Editorial Presença (1999)

Sinopse:

Harry Potter, de 11 anos, é o sobrinho desprezado da família Dursley. Órfão, o jovem foi entregue aos cuidados dos tios, que o tratam sem qualquer carinho enquanto mimam o único filho que possuem. Contudo, o destino de Harry começa a ser revelado no dia do seu aniversário. A chegada de misteriosas cartas revelam um segredo que estava muito bem guardado: ele é um feiticeiro. Assim, Harry descobre que existe um mundo novo onde pode ser valorizado e descobrir, em pleno, as suas capacidades. Mas será tudo assim tão fácil?

Opinião:

Li este livro pela primeira vez quando tinha 12 anos. Comprei-o numa feira da minha escola, e, na altura, nunca tinha ouvido falar em Harry Potter. Lembro-me que gostei da capa (a que utilizei como imagem) e quando vi que era sobre feiticeiros fiquei convencida e levei-o para casa. Tenho muito orgulho desta aposta e, num momento saudosista, decidi voltar a ler a coleção.

Sou uma grande fã desta série,e é interessante ver que apesar da idade e do maior número de experiências literárias, há livros que nos continuam a agarrar, apesar de já não serem grandes surpresas e de serem dirigidos a um público muito jovem.

Com uma escrita simples e direta, J. K. Rowling faz-nos abandonar um mundo cinzento e entrar numa realidade onde a magia é real. Os ambientes com toques medievais e repletos de mistério são envolventes e fazem ansiar por receber a tão desejada carta para ir para Hogwarts, a escola de feiticeiros mais famosa da atualidade.

Numa viagem rápida e emocionante, acompanhamos o protagonista, um rapaz tímido, corajoso e cheio de sonhos, num processo de entrada para este mundo paralelo ao nosso. Primeiro, vamos às compras com ele, tal como na época do regresso às aulas, mas o material é em tudo diferente. Varinhas que combinam com a nossa personalidade, mantos feitos à medida, livros que abordam temas surpreendentes, animais que nunca imaginaríamos poder possuir.

Como acontece a qualquer jovem que entra numa escola nova, estamos ao lado de Harry no momento em que ele conhece aqueles que vão ser os seus grandes amigos, mas também inimigos. É impossível ficar indiferente à boa disposição do trapalhão Ron Weasley, assim como à inteligência e temperamento de Hermione Granger. Draco Malfoy é o típico menino mimado a quem nunca faltou nada e que quer ter todos os colegas a atender os seus caprichos. Uma verdadeira jornada que ensina o valor da amizade, da bondade e da valentia.

Mas existem ainda muitas provas a ter em consideração! Para além de usarmos o Chapéu Selecionador ao mesmo tempo que o herói e indagarmos sobre a casa mais apropriada para nós, ficamos sem fôlego quando o perigo se instala na escola. E é aqui que a verdadeira aventura acontece e o leitor deseja estar lá a combater todas as ameaças ao mesmo tempo que vive naquele mundo fantástico.

Não é o livro perfeito, não é isento de erros (nomeadamente a nível de tradução) e, agora com mais maturidade, percebe-se que carece de desenvolvimento e de fundamento em algumas questões. Contudo, é o primeiro volume de uma das minhas séries preferidas.  Voltar a ler "Harry Potter" é voltar a um lugar ao qual pertenço, apesar de nunca lá ter estado.

6 comentários:

JK disse...

Adorei o teu texto (:
Para mim ler Harry Potter é exactamente como descreves "voltar a um lugar ao qual pertenço". Relei-o este livro todos os anos, umas vezes em Inglês outras em português e apesar de com o passar dos anos notar que a escrita é mais infatil do que pensava ou que por vezes carece de alguma informação acho este livro fenomenal (tal como os restantes 6)

Cláudia disse...

Obrigada JK!Bj*

Paulo disse...

Ois,

A ver se no final da leitura fazes uma especie de balanço da saga, fica o desafio :D

Adorei o texto, começo a ver muita gente a reler esta saga, até dá vontade de reler também :D

BJS

Cláudia disse...

Esse é um desafio a ser ponderado. Obrigada pela ideia!
Bj

Alyra Richards disse...

Gostei muito da tua opinião! :)
Só comecei a ler os livros de Harry Potter quando andava no 7º ano, porque antes dizia que não devia ser grande coisa. Depois apaixona-me por eles e, até hoje, leio a colecção toda no natal.

Cláudia disse...

Obrigada pelas palavras Alyra! Realmente a coleção e o Natal têm uma ligação. Bj*