terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Opinião: Shadowfell (Shadowfell#1)

Título original: Shadowfell
Autor: Juliet Marillier
Tradução: Catarina Almeida
ISBN: 9789896573324
Editora: Planeta (2012)

Sinopse:

 Na terra de Alban, onde o jugo tirânico de Keldec reduziu o mundo a cinzas e terror, a esperança tem um nome que só os mais corajosos se atrevem a murmurar: Shadowfell. Diz a lenda que aí se refugia uma força rebelde que lutará para libertar o povo das trevas e da opressão.

E é para lá que se dirige Neryn, uma jovem de dezasseis anos que detém um perigoso Dom Iluminado: o poder de comunicar com os Boa Gente e com as criaturas que vivem nas profundezas do Outro Mundo. Será Neryn forçada a fazer esta perigosa viagem sozinha? Ou deverá antes confiar na ajuda de um misterioso desconhecido cujos verdadeiros desígnios permanecem por esclarecer?

Perseguida por um império decidido a esmagá-la e sem saber em quem pode confiar, Neryn acabará por descobrir que a sua viagem é um teste e a chave para a salvação do reino de Alban pode estar nas suas próprias mãos.


Opinião: 

Juliet Marillier apresenta o início de uma nova saga com Shadowfell. Apesar de ser uma trama destina a um público jovem adulto, a autora não descura de algumas características às quais os seus fãs já estão habituados: uma heroína forte, uma tarefa arriscada, um amor difícil e a presença de seres místicos.

Com o início da leitura, percebe-se que a população de Alban vive num clima de terror, especialmente aqueles que, à semelhança de Neryn, possuem uma capacidade especial. A protagonista é jovem e sente-se abandonada por todos. Desorientada, acaba por se agarrar a uma ideia que nem sabe se é inteiramente verdade, iniciando, assim, uma difícil jornada onde será colocada à prova.

Shadowfell relata, quase por inteiro, uma viagem. Existem momentos que podem parecer mais parados, mas é muito interessante ver como esta demanda modifica Neryn e as personagens que esta acaba por encontrar. Juliet dá a entender que o caminho a ser percorrido não é difícil apenas pelas questões naturais e pela longa distância, mas sobretudo pelas provações que proporcionam o desenvolvimento.

Neryn, inicialmente, pode ser vista como uma rapariga jovem, perdida e possuidora de uma réstia de esperança, mas, com o tempo, acaba por se revelar uma mulher corajosa, capaz de passar por grandes períodos de privações e sofrimento, assim como de ultrapassar os seus próprios limites. Penso que não é uma protagonista com quem se simpatize facilmente, mas que acaba por conquistar. Gostei especialmente, de que, apesar de ser evidente o teor romântico da obra, Neryn ser uma mulher capaz de colocar os seus valores à frente do seu coração.

A grande reviravolta desta obra acontece quase no fim, sendo também nesta fase em que se registam cenas de maior ação. É nesse momento que Neryn percebe a verdadeira dimensão do seu dom, o que leva a entender que fina linha que separa o bem do mal.

O envolvente e misterioso Flint faz lembrar outras personagens masculinas da autora que se tornaram marcantes. Ambíguo e possuidor de um passado complexo, é alguém que queremos ver mais explorado. Existem também outras personagens interessantes, nomeadamente algumas das que surgem na recta final da leitura.

A escrita de Juliet mantém as características de sempre, apesar de poder parecer mais simples neste volume. A linguagem poderá ser mais directa e as descrições mais básicas, mas os vestígios de misticismo e de beleza poética estão presentes.

Shadowfell não recupera todo o esplendor a que Juliet Marillier nos habituou com os seus trabalhos iniciais, mas parece estar a caminhar nesse sentido. No final fica a sensação de satisfação, mas também de que alguns pontos poderiam ter sido melhor expostos, ao mesmo tempo que se sente que o próximo volume desta nova saga terá todos os ingredientes para ser ainda mais envolvente do que este. Um livro escrito para um público jovem mas que pode agradar os mais maduros.

Outras opiniões a livros de Juliet Marillier:
A Filha da Floresta (Sevenwaters #1) 
O Filho das Sombras (Sevenwaters #2) 
A Filha da Profecia (Sevenwaters #3) 
A Vidente de Sevenwaters (Sevenwaters #5)
A Chama de Sevenwaters (Sevenwaters #6)
Sangue-do-Coração

8 comentários:

Rita Verdial disse...

Eu nem acredito que ainda não comprei este livro! Deve ser o livro da Juliet que mais me demorei a adquirir :p

Depois de ler esta opinião fique com ainda mais vontade de o ler, e se caminhamos no sentido da "antiga Juliet" mal posso esperar para lhe pegar! :)

Cláudia disse...

Eu acredito nisso Rita, estou ansiosa para pegar no próximo para comprovar essa ideia

Alexandra Rolo disse...

allô. deixei-te um selinho no blog ;)

Daniela ♥ disse...

Olá, primeiro feliz ano 2013 e que os teus objectivos se concretizem!!

Segundo, devido a uns problemas tive que alterar o link do meu blog (antes Cantinho da Daniela): http://secretsofmylife-d.blogspot.pt/
Passei só para avisar :D
beijinhos

Cláudia disse...

Obrigada Alexandra! Um grande beijinho*

Cláudia disse...

Daniela, obrigada e um bom ano*

Paulo disse...

Ois Claúdia,

Antes demais as minhas desculpas pelo corvo só agora conseguir aqui vir, nem sempre conseguimos acompanhar tudo o que queremos :(

Estou como a Rita ainda nem comprei este livro, mas sei quem me pode emprestar, logo vou ler dessa forma.

Quanto ao livro fico contente que a escritora esteja a caminhar no bom sentido para nos deixar encantados, quem sabe no livro seguinte já esteja ao seu nível mais alto ;)

Bom ano e claro boas leituras

BJS

Cláudia disse...

Olá Corvo!
Não tens de pedir desculpas de nada! fico feliz por saber que de vez em quando passas por cá :)
Quanto ao livro, depois quero saber se ficaste ou não com a mesma sensação que eu*