sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Opinião: As Mentiras de Locke Lamora

Título original: The Lies of Locke Lamora (2006)
Autor: Scott Lynch
Tradutor: Ana Mendes Lopes
ISBN: 9789896373375
Editora: Edições Saída de Emergência (2011)

Sinopse:

Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível, um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapaz de pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dos seus pecados, o afamado Espinho.

As suas melhores armas são a inteligência e manha à sua disposição. E embora seja verdade que Locke roube dos ricos (quem mais vale a pena roubar?), os pobres nunca vêem um tostão. Todos os ganhos destinam-se apenas a ele e ao seu bando de ladrões: os Cavalheiros Bastardos. O submundo caprichoso e colorido da antiga cidade de Camorr é o único lar que o bando conhece. Mas tudo vai mudar: uma guerra clandestina ameaça destruir a própria cidade e os jovens são lançados num jogo de assassinos e traidores onde terão de lutar desesperadamente pelas suas vidas. Será que, desta vez, as mentiras de Locke Lamora serão suficientes?

Opinião:

Mas que livro! Estava eu ainda na fase inicial da leitura quando dei por mim a pensar "como fui capaz de o ter tanto tempo na prateleira? Porque não peguei logo nele?". Já há algum tempo que um livro não me agarrava tanto e que falta me fazia essa sensação.

Tal como o título sugere, toda a trama está envolta em mentiras. E Locke Lamora é o mentiroso perfeito! É impressionante ver como um jovem de tenra idade entra neste submundo que faz lembrar uma Itália Renascentista e que é descrito com uma perícia que quase nos faz acreditar que é real. De início admiramos a capacidade de iniciativa deste jovem e, mais tarde, ficamos deliciados com as elaboradas artimanhas que ele realiza para conseguir enganar e roubar os mais ricos. E Locke, apesar de ser, sem qualquer dúvida, a figura mais interessante da trama, está acompanhado por outras personagens bastante convincentes. Destaco Jean, os gémeos Galdo e Calo, Chains e Dona  Vorchenza.

A ação é imparável! Não existem momentos aborrecidos nas mais de 500 páginas de As Mentiras de Locke Lamora. Existe sempre algo a acontecer e mesmo momentos que parecem ter um final previsível surpreendem através de reviravoltas completamente inesperadas. Quando julgamos que mais nada pode acontecer o autor tira mais uma carta da manga e vira o jogo ao contrário, fazendo lembrar As Crónicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin (e já agora, sabiam que este autor também é fã deste livro?).

Para além do desenvolvimento da trama principal, todos os capítulos terminam com um regresso ao passado, onde é explicado ao leitor como foi a aprendizagem de Locke, o seu crescimento e como foi desenvolvida a amizade com os restantes cavaleiros bastardos. A informação não é dada ao acaso, tudo é conhecido na devida altura, de modo a explicar alguns factos e a criar uma maior empatia com estas personagens possuidoras de uma atividade tão duvidosa.

Este livro tem pontos fracos? Claro que tem, sendo que o principal é não ter mais páginas. Quero com isto dizer que gostava de ter visto alguns aspectos mais desenvolvidos e, principalmente, conhecer melhor uma certa personagem que é apenas mencionada.

A história é intensa, divertida, repleta de cenas de ação que nem sempre são resolvidas da forma esperada. O leitor está sempre a ser surpreendido através de uma leitura que se revela verdadeiramente viciante. Eu fiquei fã e mal posso esperar para ver os restantes livros publicados por cá. Recomendo!


10 comentários:

Lars Gonçalves disse...

Tenho de concordar contigo, este livro é um dos melhores que já li.

Mas tenho uma má noticia a SdE não está interessada em publicar os restantes livros do autor.

Cláudia disse...

Olá Lars.
Infelizmente já soube disso, mas ainda tenho alguma esperança de que os livros sejam publicados por cá. Nem que seja como e-book ou livro de bolso. É esperar para ver.

p7 disse...

Também me fez um bocadinho de comichão não conhecermos a tal personagem que é mencionada de forma tão intrigante... mas de resto o livro é tão bom e tão divertido, cheio de tramóias e estratagemas. :D Adorei o sentido de humor do autor ao escrever certas coisas - e à boa maneira "Martiniana", ninguém está a salvo.

Cláudia disse...

Ninguém mesmo P7! Fiquei um pouco triste com a primeira, mas logo percebi que ninguém está a salvo. E quanto a essa tal personagem, já soube que também não é no segundo livro que aparece.

Fiacha disse...

Olá Cláudia,

Eu bem que fartei-me de dizer que este é um grande livro, não me surpreende nada que te tenha cativado tanto.

Embora não esteja previsto continuarem a publicar livros desta saga (ao que sei o 2 volume está ao nível deste e o 3 já vem a caminho) não deixo de ter esperança que com comentários destes ainda possa a vir dar a volta à situação, nada como o livro ser comentado em blogues para que mais pessoas não deixem escapar este livro tão bom.

Eu proprio tentarei fazer um post a dedicar ao escritor no meu blogue para divulga-lo bem merece.

Faz-me em certa medida lembrar Martin, teve um primeiro livro de saga de grande nível, o que pode ser a causa dos seus problemas de saude, mas mesmo que demore a publicar os seus livros o importante é que sejam bons.

Penso que tem tudo para ser ainda melhor que George Martin, embora com universos diferentes, obviamente.

O que me custa é que livros destes não vendam bem e que depois livros com menos qualidade sejam publicados, algo vai mal a meu ver, mas à que ter esperança, afinal Martin (para mim o melhor de fantasia) tem sido o balão de oxigênio para a coleção, a prova que o que é bom vende.

E se poder tambem Gavriel Kay irei divulgar :D

Adorei o teu comentário até me dá vontade de te dar um pequeno spoiler do 2 volume (que apanhei por culpa do João Barreiros)...mas não te vou deixar ainda mais curiosa....este jovem ainda vai dar que falar ;)

Bjs e aparece :D

Visão Periférica disse...

Olá!
Deixei-te um selo em http://visaoperifericaa.blogspot.pt/2013/02/selo-2013-literario.html
:D

milureis disse...

Olá, boa tarde, também adorei este livro, só espero que não fique por aqui, como tantos outros.
Gostei também da tua crítica, com a qual concordo!
Continuação do bom trabalho
Bjs

Cláudia disse...

Fiacha, nada de spoilers! =P Depois quero ver o teu post dedicado a este livro.

Visão Periférica, muito obrigada pelo selo =D

MiluReis, a esperança é a última a morrer! *

Pedro Pacheco disse...

Eu devo ser o único que ainda não leu este livro porque pelos vistos toda a gente adorou. Mais um para a pilha de livros a ler mas sem dúvida que este vai para o top :D

Abraços e boas leituras!

Cláudia disse...

Pedro, vais ver que este vale bem a pena ;)*