quarta-feira, 1 de maio de 2013

Opinião: Golias (Leviatã #3)

Título original: Goliath (2001)
Autor: Scott Westerfeld
Tradutor: Maria João de Andrade

ISBN: 9789896681517
Editora: Vogais (2012)

Sinopse:

O Leviatã é forçado a desviar-se do seu percurso para resgatar Nicola Tesla, o inventor do Golias, uma máquina capaz de destruir cidades, e que ele usa como trunfo para impor a paz. Quando é descoberto um plano secreto alemão para sabotar a máquina, este ameaça dispará-la. Nessa altura, depende de Alek e Deryn detê-lo - ou enfrentar o fim do mundo.
Este é o espetacular final da trilogia! Batalhas aéreas emocionantes numa viagem à volta do mundo echeada de perigos e... beijos ousados!

Opinião:


Scott Westerfeld apresenta a conclusão da sua trilogia steampunk dedicada a um público jovem. Depois dos eventos vividos em Leviatã e Besta, o leitor fica a conhecer Golias, o terceiro volume da série.

Após os incidentes vividos em Constantinopla, Aleksandar e Deryn Sharp continuam a bordo do famoso dirigível-baleia Leviatã. A amizade entre os dois é colocado à prova ao mesmo tempo que o Leviatã é obrigado a mudar o seu rumo, com o objetivo de resgatar Nicolas Tesla, o inventor de Golias, uma máquina que tem um grande poder destruidor, mas que pode ser usada na obtenção da desejada paz. Contudo, as forças alemãs descobrem esse trunfo e traçam um plano para danificar a máquina, o que leva o seu criador, obcecado pela invenção, ameaçar destruir tudo o que existe. Alek e Deryn sentem-se na obrigação de travar a catástrofe, mas existem forças que surgem como obstáculo, enquanto segredos são revelados e ameaçam a relação que eles possuem.

Golias revela-se uma obra de fácil leitura, detentora de uma ação dinâmica e contagiante. Os nossos heróis são dotados de astúcia, coragem, mas também possuem falhas características de qualquer ser humano. Porém, estas não os fazem parar de tentar alcançar os seus objetivos. Ao longo dos três livros desta série, o autor conseguiu construir uma amizade credível que está em constante crescimento, muito graças à empatia existente como também às provações que unem cada vez mais os protagonistas.

Neste volume, o leitor poderá viajar por outros cantos do mundo, desde a Sibéria a Nova Iorque, o que fornece uma visão mais alargada acerca do mundo criado por Westerfeld, que, apesar de já não ser novidade, continua a encantar. As máquinas a vapor e os animais manipulados inseridos na história da humanidade apresentam uma realidade atrativa que faz a imaginação trabalhar.

À semelhando do que aconteceu em Leviatã e Besta, o autor apresenta novas personagens baseadas em figuras históricas, o que confere um sabor especial a esta história alternativa baseada no período da Primeira Grande Guerra. Para além da reflexão sobre o valor das ações e sobre o que é o bem e mal, existe também uma consideração sobre o poder dos meios de comunicação social em climas de tensão e de confronto.

O único ponto fraco que pode ser apontado é relativo à facilidade de resolução dos conflitos, o que leva o bem a sair sempre vitorioso. Contudo, é preciso ter a noção de que esta é uma obra juvenil.

A escrita do autor é apoiada pelas belas ilustrações de Keith Thompson, que auxiliam na conceção deste estranho mundo e são, sem qualquer dúvida, uma verdadeira mais-valia. Golias é uma conclusão emocionante que vai fazer as delícias dos fãs dos dois volumes anteriores. 

2 comentários:

Maria_queenfire disse...

Olá!

Ando muito curiosa sobre estes livros! Steampunk e aventuras.
Boa opinião!

Boas leituras!

Cláudia disse...

Olá Maria!

É uma trilogia muito boa, apesar de ser dedicada a um público mais jovem. Gostei da forma como steampunk e história alternativa se fundiram.

Bj e boas leituras!