segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Opinião: Sozinhos na Ilha

Título Original: On The Island (2011)
Autor: Tracey Garvis Graves
Tradução: Mário Dias Correia
ISBN: 9789892323596
Editora: Asa (2013)

Sinopse:

Uma ilha deserta plena de sol, vegetação luxuriante e mar cristalino é um cenário de sonho. Ou talvez não... Anna Emerson decide quebrar a sua rotina e deixar Chicago para dar aulas numa ilha tropical. Por seu lado, T. J. Callahan só quer voltar a ter uma vida normal após a sua luta contra o cancro. Mas os pais empurram-no para umas férias num destino exótico. Anna e T. J. estão a sobrevoar as ilhas das Maldivas a bordo de um pequeno avião quando o impensável acontece: o aparelho despenha-se no mar infestado de tubarões. Conseguem chegar a uma ilha deserta. Sãos e salvos, festejam e aguardam, convictos de que serão encontrados em breve. Ao início, preocupam-se apenas com a sobrevivência imediata e imaginam como será contar tamanha aventura aos amigos. Nunca a citadina Anna se imaginou a caçar para comer. T. J. dá por si a lutar com um tubarão e a ser acolhido por simpáticos golfinhos. Os dois jovens descobrem-se timidamente e exploram a ilha. Mas à medida que os dias se transformam em semanas, e depois em meses, as hipóteses de serem salvos são cada vez menores. Ambos têm sonhos por cumprir e vidas por retomar, e é cada vez mais difícil evitar a grande questão: conseguirão um dia sair daquela ilha?

Opinião:

Sozinhos na Ilha é uma leitura leve, agradável e interessante, que deve ser feita especialmente durante os dias quentes de verão. Afinal, em que outra época do ano poderíamos estar mais sensíveis ao calor descrito na grande parte destas páginas?

Não foi uma leitura que tivesse iniciado com grandes expectativas, mas acabou por me agradar e prender. Confesso que, ao início me questionei sobre como a autora iria conseguir manter o interesse num cenário tão limitado como o de uma ilha, mas a verdade é que Tracey Garvis Graves foi bem sucedida nessa missão. Acho que o segredo está nas personagens interessantes, no desenvolvimento do seu relacionamento e na descrição dos seus métodos de sobrevivência.

Anna é uma jovem mulher que está cansada da sua rotina e decide aceitar o emprego de dar aulas a um rapaz enquanto este passa férias com a família numa ilha tropical. É fácil perceber as suas motivações, afinal Anna não aceitou a tarefa apenas tendo em vista o destino idílico. Ela precisa de sair da sua vida de modo a perceber o que realmente quer para o seu futuro e de que forma o quer conquistar. Acredito que as dúvidas que a atormentam são comuns a outras mulheres.

T. J. é um rapaz que venceu um cancro e deseja recuperar o tempo que a doença lhe tirou. Apesar do tormento que viveu, encara tudo de forma positiva e dificilmente perde a esperança. Apesar de ser jovem, desde cedo enfrentou obstáculos difíceis e a sua atitude perante estes fez-me ficar rendida a esta personagem. É uma pessoa com sede de viver e que luta pela sua felicidade.

Numa primeira fase do livro, é com interesse e até algum espanto que se assiste aos primeiros tempos de T. J. e Anna na ilha. Penso que a autora conseguiu sustentar bem a sobrevivência dos dois apesar dos escassos recursos e é também com um sorriso nos lábios que se assiste ao desenvolvimento da relação deste par perdido.

A ilha acabou por se revelar um local com maiores possibilidades do que aquelas que eu achava serem possíveis e permitiu o desenvolvimento de uma história que dá prazer conhecer. Gostei do facto de que os capítulos irem alternando entre as duas personagens, de forma a ser possível conhecer os sentimentos de ambos, contudo, achei que os de T.J. acabaram por ser pouco aproveitados e explorados.

A segunda parte do livro já apresentou um ritmo mais lento e teve ainda alguns momentos ligeiramente mais aborrecidos. O encanto que foi vivido na ilha foi-se desvanecendo e o que mais me apelava neste livro também. Contudo, destaco os obstáculos provocados pela diferença das idades de Anna e T.J..

Leitura que se faz em poucos dias e que dá um toque de romance ao verão. Sozinhos na Ilha é um livros que se lê com agrado e que proporciona bons momentos.

3 comentários:

Universo dos Leitores disse...

Realmente a missão de prender a atenção do leitor para um história com o cenário limitado não é fácil! Que bom que gostou e que superou as suas expectativas!

Abraços, Isabela.
www.universodosleitores.com

Fernando Pacman disse...

Gosto muito de ter sempre um livro deste na estante para os momentos que não queremos ler nada pesado.
Me interessei pela história, vou anotar.
Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
Abraços

http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

Cláudia disse...

Obrigada Fernando e Isabela. Um beijinho*