domingo, 14 de outubro de 2012

Opinião: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (#3)



Título original: Harry Potter and the Prisioner of Azkaban (1999)
Autor: J. K. Rowling
Tradutor: Isabel Fraga
ISBN:  9722326015
Editora: Editorial Presença  (2000)

Sinopse:

Daquela vez Harry Potter não conseguira conter-se. Quebrara uma das regras principais de Hogwarts - não exercer técnicas de feitiçaria fora dos muros da escola. Mas aquela detestável Tia Marge merecia permanecer umas boas horas suspensa no tecto da sala dos Dursleys, inchada como um balão. Além disso já faltavam poucos dias para recomeçar as aulas. Mas o seu terceiro ano não irá ser fácil. 

Da prisão de Azkaban fugira o feroz Sirus Black, um dos mais fieis seguidores do assustador Lord Voldemort para o que Harry Potter continuava a ser o alvo favorito. O pior é que o herói de J. K. Rowling começa a suspeitar da existência de um traidor entre os seus próprios amigos...

Opinião:

Mais um ano, mais uma aventura. Se os dois primeiros volumes da série Harry Potter fizeram uma introdução a este universo mágico e apresentaram os principais perigos que o jovem feiticeiro e os seus amigos iriam enfrentar, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban marca o início de uma mudança.

Com um teor mais negro, este livro já apresenta personagens mais maduras e conceitos que adensam a trama geral. Para além das muitas revelações do passado que ajudam a compreender as dificuldades presentes, J. K. Rowling introduz novos temas que vão ganhar peso com os restantes livros. Surge pela primeira vez o famoso mapa do Salteador, os terríveis Dementors são apresentados, assim como os interessantes Animagus.

Harry e os amigos são introduzidos a novas disciplinas e matérias, sendo dado principal destaque para a Defesa contra as Artes Negras, lecionada pelo cativante Remo Lupin, um antigo companheiro do pai do feiticeiro da cicatriz em forma de relâmpago.  Aqui, surge um novo feitiço, o espectros patronus, que remete para a esperança nos momentos mais negros da vida. Esta pode ser uma lição da autora para os seus leitores: mesmo nos momentos mais difíceis, o pensamento positivo pode ajudar a superar as dificuldades.

O tom da linguagem não é tão infantil quanto nos livros anteriores e o ritmo da leitura acelera quando o terrível fugitivo Sirius Black dá sinais de estar mais perto de Harry do que seria suposto. O jovem volta a ver a sua vida em perigo, mas, ao mesmo tempo, pretende ter um contacto direto com o suposto devorador da morte que é culpado pela morte dos seus pais. O leitor acompanha o medo do herói quanto a este homem, sente ódio e quer ver Sirius Black destruído, para mais tarde perceber que nem tudo o que parece realmente o é.

A partir do terceiro volume da série Harry Potter, tudo parece ter um teor mais sério. Os perigos passam a não surgir apenas dentro de Hogwarts, mas também a vir de fora. As personagens tomam decisões mais arriscadas que podem afetar toda a comunidade de feiticeiros. Com o fim da leitura, é possível perceber que a autora está a preparar cenários cada vez mais intricados que prometem continuar a agarrar os leitores já conquistados. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban apresenta uma reviravolta: o feiticeiro já não é uma criança, e muito mais está para chegar.

Outros livros de J. K. Rowling:
 Harry Potter e a Pedra Filosofal (#1)
Harry Potter e a Câmara dos Segredos (#2)

2 comentários:

Leitora disse...

Olá Cláudia,
Ando com uma enorme vontade de reler os livros do Harry Potter.
Boas leituras;)
P.S. O que mais gostei foi Harry Potter e o cálice de fogo.

Cláudia disse...

Olá! Confesso que o Cálice de Fogo é um dos meus preferidos =)